12 de nov de 2010

Alérgica

O barulho dos carros me machuca,perdi meu oxigênio e minha vontade enquanto a dor avança um quilômetro a mais.Eu fico e você vai.Nesta noite de estrelas imóveis seu coração é alérgico a mim.Ainda bate em mim por engano um milímetro atrás.Respiro em um congela-dor no qual não sairei jamais!
Não curarei tua solidão quando a cidade dormir.Não estarei aqui para ouvir suas histórias bobas.Não porque você tem medo de sentir,mas porque você é alérgico a sonhar
e perdemos a cor. Porque você é alérgico ao amor
Vou caminhando em tempestades elétricas à procura de algum território neutro onde não ouço falar de você,onde eu aprenda a esquecer,a não morrer e a não viver tão fora do lugar.
Você sabe eu não vou manter os pés.Eu não posso te defender de ti

Nenhum comentário:

Postar um comentário